sexta-feira, 31 de maio de 2013

Sorteio: Uma homenagem para André Neves

Olá pessoal!
Vocês já devem estar sabendo que o André Neves ganhou o Prêmio Monteiro Lobato 2013.
Para homenageá-lo resolvi fazer uma boneca da personagem Obax para sortear aos participantes.
Atenção para as regras:
1. Comentar este post com uma mensagem para André Neves, falando sobre uma de suas obras literárias.
(Neste comentário não esqueça de colocar seu email para contato)
2. Seguir este blog.
3. Compartilhar este link no Facebook.

O sorteio será dia 30 de junho de 2013.

Boa sorte a todos!

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Participação na Feira Literária da Escola Oswaldo Cruz - IENH



Muito feliz em contar histórias para os pequenos da Oswaldo Cruz! Contei as histórias "Maroca e Deolindo"(André Neves), "Em briga de irmão quem dá opinião?" (Luciano Pontes), "A melhor família do mundo" (Susána Lopez).


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Miados e carambolices na Fábrica do Saber

Visita dos alunos da EMEF Pres. Hermes da Fonseca -NH na Biblioteca Fábrica do Saber. Alegria em recebê-los e recheá-los com histórias!

domingo, 26 de maio de 2013

Encantar olhares, encantar histórias

O mundo realmente é mágico. Só nele existem pessoas com olhares especiais e encantos puros. Esta semana contei histórias em muitos lugares diferentes. Cada espaço me deu um pouquinho de carinho que fui levando junto na minha mala. Algumas palavras foram realmente especiais, como a de um menino que me disse:
"-Essa é melhor história da minha vida." 
Não tem presente melhor para um contador de história, ouvir algo assim. Poder marcar a vida de alguém através de um conto, de uma poesia. Ver aqueles olhares atentos, receber beijos e abraços sinceros e espontâneos, tudo proveniente de um compartilhamento literário. Isso mesmo! Contar histórias é compartilhar literatura, estimular a leitura e aguçar a curiosidade. 
Incrivelmente lindo ver crianças que apresentam algumas deficências superá-las pelas histórias contadas. O menino que demonstra todo seu sentimento querendo participar, o menino que não fala mas consegue dançar no ritmo da música que você toca. 
E os olhares! O que é mais precioso que o olhar? O olhar firme daquele adolescente que não quer mais ser criança e que se segura até o último instante, mas não consegue evitar e participar. O olhar assustado daquele que pula da cadeira com uma gargalhada. O olhar atento daquele que espera o momento seguinte da história.
Mágico, o ato de contar histórias é mágico. Histórias me encantam a todo momento e com elas quero passar os meus dias. Na verdade, quero espalhar essas histórias para todos que quiserem escutá-las. Como diz o amigo contador de história Zé Bocca, "As histórias não são de quem as conta, mas de quem as escuta."

terça-feira, 21 de maio de 2013

Quem ouviu, arregalou-se

Contação de histórias na Semana Literária da EMEF Jorge Ewaldo Koch
  Histórias: "A gata que entrou em casa" (Meus contos africanos - seleção de Nelson Mandela) e "A tartaruga e a fruta amarela"(Ricardo Azevedo)
Contação de histórias na Semana do Brincar da EMEF Anita Garibaldi - NH
 Dramatização da história "A gata que entrou em casa"
Contação da história "Tininha Cereja", de Celso Sisto
http://midiaeducacao.novohamburgo.rs.gov.br/escolas/semana-do-brincar-na-e-m-e-f-anita-garibaldi/
Contação de histórias na Semana Literária da EMEF Rodrigues Alves - NH
Contação das histórias:"A gata que entrou em casa", "A tartaruga e a fruta amarela" e "A origem do Milho" (lenda indígena - kaiowá)

Semana da poesia na EMEF Conde D'Eu - NH


Fechando a semana com chave de ouro! Contação das histórias "Tininha Cereja", "A tartaruga e a fruta amarela" e "A gata que entrou em casa" na semana poética da Conde D'Eu.

sábado, 18 de maio de 2013

Dia da Família na EMEF Nilo Peçanha - NH







 
Contação da história "A gata que entrou em casa" (livro Meus Contos Africanos, seleção de Nelson Mandela). As crianças e os pais, principalmente, adoraram. Adorei a empolgação de vários que vieram falar comigo depois. É gente, adultos também amam ouvir histórias, alguém duvida?

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Curso Literatura e suas múltiplas linguagens VI - com Carmem Lúcia Capra


Ótimo encontro na tarde de hoje para conversar sobre: Leitura e Artes Visuais - Recorte e movimento.
A Profª Carmem Lúcia transcorreu nos conceitos de Leitura, falando sobre a importância das imagens para definir esse tema. A partir de artistas que trabalhavam com recortes e colagens conseguimos observar várias formas de ver e sentir. Ainda compartilhou conosco o belíssimo filme de Michel Ocelot, "Les Trois Inventeurs", todo feito com recortes de papel. Ao final, a proposta foi fazer com recortes uma interpretação de um Haikai de Paulo Leminsky. A dinâmica proposta serviu para concluirmos que a palavra pode ser interpretada de várias formas com elementos visuais. De um mesmo Haikai observou-se trabalhos bem distintos. Carmem também sugeriu fazer o inverso, propor um trabalho livre com recorte e depois criar um haikai a partir dessa produção. No trabalho da foto, escolhemos o seguinte haikai:
"Lá embaixo
vai ter
o que eu acho." 
(Leminsky)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Hoje

Hoje queria ser pássaro.
Para voar com a brisa,
Pousar pelos mares.

Queria ser nuvem.
Para seguir com o vento,
Percorrer pensamentos.

Hoje queria ser bosque.
Para guardar segredos,
Encontros.

Queria ser flor.
Para ser cuidada,
Amada.

Hoje queria ser livro.
Para ter horizontes,
Infinitos.

  Queria ser apenas eu.
Pássaro,  nuvem, flor, livro,
Encantos e sentidos.
Somente isso. 

                                              Imagem: André Neves



domingo, 12 de maio de 2013

sábado, 11 de maio de 2013

Feliz Dia das Mães!


Mãe é tudo igual? Será?



Mãe é tudo igual? Será?

Todo mundo já disse ou ouviu essa frase: mãe é tudo igual! Eu  acho que não é não.
As mães têm várias coisas em comum, mas com certeza não são todas iguais.
Cada qual acha a sua mãe a melhor do mundo sempre. Seja ela como for.
A minha mãe, com certeza é a melhor mãe que eu poderia ter. Aquela que está sempre a meu lado, me dando força em tudo que faço. Uma mãe que soube dar abraços e repreender na hora certa. Minha melhor amiga sempre. 
Quando criança a mãe é tudo pra gente. Na adolescência a mãe tem que aguentar nossas insatisfações e reclamações (e minha mãe sofreu muito com isso, pois eu era uma adolescente muito rebelde). Quando ficamos adultos, a mãe volta a ser respeitada novamente, na maioria dos casos.  Pelo menos é isso o esperado.
Eu não sou mãe, não tive o privilégio. Mesmo assim sinto um amor muito grande pelas crianças que encontro pelo meu caminho. Sei que não tem comparação, mas é o que eu sinto.
Só sei de uma coisa, amo a minha mãe, pois para mim ela é a melhor mãe do mundo!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

SOMOS TÃO JOVENS!

Pode até parecer piegas ou apenas óbvio. Não há como negar que Renato Russo foi o grande poeta musical dos anos oitenta. Depois de ver esse filme, extremamente delicado e tocante com a alma em transe do artista, basta lembrar letras inesquecíveis. Lágrimas escorreram pelo meu rosto durante todo o filme. Era como se estivesse vendo a radiografia astral de Renato Russo. E pensar que somos tão jovens e ainda é muito cedo para pararmos de sonhar. Não há tempo perdido quando se ama, não é cedo demais para se dizer o que pensa, nem tarde demais para se desistir. Será só imaginação? Não, é canção poética que lava a alma e alimenta o coração!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Oficina Música e Movimento - Espaço LER - POA

Cantando e brincando
Olha toda a galera! Show de bola!
Livros imperdíveis

video
O que seria da vida da gente se não tivéssemos momentos assim?
Momentos de aprendizado, trocas, diversão e encantamento.
Estevão Marques e Uirá Kuhlmann conseguem divertir e ensinar com uma praticidade brilhante.
É incrível como as músicas aprendidas não saem da mente. É maravilhoso já poder fazer algumas brincadeiras aprendidas e voltar a ser criança. Aliás, como é bom brincar!
No início a gente fica meio quieta, com medo de errar, mas nota-se que como dizem os meninos oficineiros, não há erros nas suas atividades. Aquela vontade de acertar acaba nos invadindo.
Que maravilha explorar tantos instrumentos musicais, e pensar que já tenho vários em casa e agora me deu vontade de adquirir muito mais.
Poder descobrir música e efeitos sonoros com um simples bater de palmas e bater de pés, ou quem sabe usar colheres. Isso mesmo, colheres! Estevão é um grande estudioso do som das colheres pelo mundo e nos mostrou várias formas de tocá-las. Uma mágica colherim, eu diria.
E que encanto tudo que se pode fazer com bambolês! Sons diversos, esculturas, dança e até montar um tabuleiro. 
Em outubro tem novamente, e eu não perco por nada!
Viva Léia Cassol e Espaço LER que proporcionou este momento!!!!!

Sem parar, sem parar
Sente o ritmo, a animação

Sem parar, sem parar
É na palma da mão

Sem parar, sem parar
Coração a pulsar

Sem parar, sem parar
Brincar, cantar

Sem parar, sem parar
Sem parar, sem parar

Música e movimento
Diversão Triii legal!


sexta-feira, 3 de maio de 2013

A Melhor Família do Mundo - de Susana López e Ulises Wensell

Contação desta bela história na Biblioteca Fábrica do Saber - NH. 
Em atividade de pré-leitura, as crianças montaram quebra-cabeças da capa do livro. A partir da imagem, conversamos sobre o que eles achavam que era a história.
A contação foi realizada com o livro, dando enfoque às imagens.

Após a contação a conversa se estendeu sobre os tipos de famílias que existem. Surgiram várias ideias. 
Também, em duplas, os alunos montaram quebra-cabeças com imagens da história. Cada dupla lembrou a parte da história que montou para os colegas.

Nas fotos, os alunos dos primeiros anos da EMEF Eugênio Nelson Ritzel.